Cachete - S. M. Antigamente, no Nordeste do Brasil, era assim que se chamava qualquer comprimido para dor.

domingo, 29 de novembro de 2015

Reinaldo Del Dotore: Bom Dia!

Reinaldo Del Dotore
Professor
Bom dia a todos os da cidade da República Boviniana do Brasil.

Vamos curtir mais um lindo domingo, em que poderemos expressar nosso racismo inconfesso e nossa intolerância travestida de liberdade de opinião, e continuar praticando nossos pequenos crimes e ilegalidades diários - que não devem ser punidos porque não são crimes e ilrgalidades dos outros.

Mais um lindo domingo em que vamos, preparando nosso churrasquinho em nossa varanda gurmê ou nos restaurantes badalados que costumamos frequentar enquanto os serviçais do váleti párquingui velam por nossas SUVs, lamentar a profunda crise que está acabando com o Brasil.

Outro maravilhoso fim de semana para, por meio de palavras que representam a moral e os bons costumes, afastar de nosso convívio os parentes e colegas que pregam, defendem e praticam o Mal.

Ao final desse lindo domingo de sol, vamos prestar atenção ao Fantástico para sermos orientados sobre quem e o que deveremos odiar durante a semana vindoura e, especialmente, para não sabermos nada que não venha ao caso.

Resposta dO Cachete:
Bom dia, meu amigo Reinaldo!

sábado, 28 de novembro de 2015

Gilson Caroni Filho: Vamos aos Fatos?

Gilson Caroni Filho
Professor
Vamos aos fatos? O que está ocorrendo agora não pode ser debitado exclusivamente na conta da imprensa partidarizada. Todos os que pediram um combate efetivo a ela foram desautorizados por lideranças petistas, incluindo o ex-presidente Lula e a presidente Dilma. A distribuição de verbas publicitárias continuou farta e generosa para as famílias Frias, Marinho, Mesquita, Saad e Civita. Só recentemente a Veja deixou de publicar anúncios governamentais.
Desde que chegou ao governo, o PT aceitou a filiação de quadros egressos de outros partidos. Isso é normal em agremiações de massa que desejam aumentar sua capilaridade em estados e municípios. Mas há um limite para tudo. A Direção Nacional sabia muito bem quem era o senador Delcídio Amaral, seu passado no PSDB e seu histórico de desmandos. Portanto, façam-me um favor: não falem em traição ou quebra de confiança.
Em 2014, o atual governo se elegeu com uma agenda e está governando com a do seu adversário. O ajuste fiscal segue à risca o receituário tucano e penaliza exclusivamente a classe trabalhadora.
Desde então, o lucro líquido do setor financeiro foi o mais elevado do mundo e o rendimento médio dos assalariados está em queda vertiginosa. A vida nunca foi tão rósea para grandes corporações, operadoras de plano de saúde e empreiteiras.
Vivemos uma recessão que põe em risco as políticas inclusivas adotadas nos últimos doze anos. E isso não é ficção fabricada pela imprensa.
Outro ponto merece um comentário. Sem dúvida, sempre houve corrupção em um país que nunca chegou a ser plenamente republicano. Somos ainda uma formação patrimonialista. Muitos argumentam que se o PSDB tivesse vencido as últimas eleições as coisas estariam bem piores. Têm razão, e ainda haveria um agravante: a imprensa blindaria tudo. Mas é esse o nosso parâmetro para avaliar a conjuntura? Até quando vamos encarar uma crise política ancorados na crença sebastianista do retorno de Lula? Desculpe o desabafo. Mas quem o escreve não costuma dar palpites ocasionais. Estive ativamente no partido desde a construção dos núcleos de base. A partir de 2003, publiquei diversos artigos no Jornal do Brasil, Carta Maior, Caros Amigos, Correio Braziliense e em diversos sites. Em todos combati uma oposição retrógada e uma esquerda descompromissada. Não tenho, há um bom tempo, qualquer vínculo partidário e não pretendo mais voltar a tê-lo. Lutei muito por um partido melhor. Não posso me contentar que tenha se transformado no “menos pior”. O que mais me deixa enraivecido é a indignação seletiva. Infelizmente, ela não é mais prerrogativa da direita. Não volto mais a escrever sobre política em redes sociais. E bloquearei os que escreverem comentários insultuosos. Estou com a paciência no limite.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Justiça Parcial não é Justiça! É caça às Bruxas!!

Senador Delcídio Amaral

Este pobre blogueiro não possui a qualidade de poder julgar a ação do Senador Delcídio Amaral. Mas gostaria de tecer alguns comentários e fazer algumas perguntas que desejaria muito que fossem respondidas.

Ao PT:
- Se todos consideravam o Senador Delcídio Amaral um infiltrado tucano no PT, por que deram a liderança do Partido no Senado a ele??

Ao STF:
- Qual o motivo da quebra da imunidade parlamentar do Senador Delcídio Amaral em tempo recorde?
- Gravação por gravação, existe uma gravação que cita que o Senador Agripino Maia teria recebido propina de 1,5 milhão de reais na negociata da Arena das Dunas. E ele continua solto! Atrapalhar investigações não pode. Propina pode??
- O Senador Fernando Collor foi pego com a boca na botija e teve carros presos! Mas ele continua solto!! Pode???
- Os Senadores José Serra e Aécio Neves tiveram seus nomes citados na Lava Jato e divulgados na famosa "Perícia das Tarjas Pretas" do conteúdo do aparelho celular do Sr. Marcello Odebrecht junto ao nome do Governador Geraldo Alckimim. E estão pagando de Pais da Moralidade do Brasil. Por que não estão presos??

Não. Isso não é Justiça! É Caça às Bruxas. E as bruxas são todas PTistas!!

Estamos correndo um grande risco de golpe orquestrado a 6 mãos! STF, Oposição e Imprensa! O que é contra o PT é amplamente divulgado e massacrado pela oposição e imprensa. O STF avaliza tudo! E com direito a frases de efeito da Ministra Carmem Lúcia "Crime não vencerá a Justiça". Não! Ele já se instalou nela, Sra. Ministra! Gilmar "Lista de Furnas" Mendes não me deixa mentir!!!

E segue o desmantelo do estado de direito!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma."
(Joseph Pulitzer)