Cachete - S. M. Antigamente, no Nordeste do Brasil, era assim que se chamava qualquer comprimido para dor.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Pesquisa Ibope em Recife

Daniel está em segundo; Humberto, em terceiro; Mendonça, em quarto; e Geraldo, em primeiro
Fotos: JC Imagem
Do NE10

O candidato a prefeito do Recife pelo PSB, Geraldo Julio, se distanciou ainda mais dos seus concorrentes na nova nova pesquisa realizada pelo Ibope e encomendada pela TV Globo e Folha de Pernambuco, divulgada nesta segunda-feira (24). O socialista, que na pesquisa anterior, realizada no último dia 3, contabilizava 33%, subiu para 39% das intenções de voto. 

Em segundo, de acordo a pesquisa, está agora Daniel Coelho, do PSDB, que inverteu de posição com o candidato Humberto Costa, do PT.

Daniel, que tinha 15% no levantamento anterior, saltou para 24%, enquanto Humberto, que possuía 25%, despencou para 16%. 

Mendonça Filho, do DEM, se mantém na quarta colocação na intenção de voto dos recifenses, porém caiu mais: de 8% para 4%.

A candidata Edna Costa, do PPL, teve 1%. Já Roberto Numeriano (PCB) e Jair Pedro (PSTU) não pontuaram.

Os votos brancos e nulos somaram 9%, enquanto o percentual de quem não sabe e não respondeu foi de 6%.

Opinião dO Cachete:
A coisa está ficando feia. Se estas pesquisas se comprovarem nas urnas, terão sido dados alguns recados para o PT, que precisa avaliar as ações que levaram a esta situação. Os pavões petistas (João Paulo e João da Costa) deverão fechar suas caudas e pensar na unidade do Partido. Que, pelo menos, aprendam a lição!

Serra e a Privataria Tucana em Cordel


$ERRA E A PRIVATARIA TUCANA EM CORDEL


Caiu a casa tucana
Do jeito que deveria
E agora nem resta pó
Pois tudo na luz do dia
Está tão claro e exposto
E o que ninguém sabia
Surge revelado em livro
Sobre a tal privataria.

Amauri Ribeiro Junior
Um jornalista mineiro
Em mais de 300 páginas
Apresenta ao mundo inteiro
A nobre arte tucana
De assaltar o brasileiro
Pondo o Brasil à venda
Ao capital estrangeiro.

Expondo a crua verdade
Do Brasil privatizado
O livro do jornalista
Não deixa ninguém de lado
Acusa Fernando Henrique
Gregório Marin Preciado
Serra e suas mutretas
E o assalto ao Banestado.

Revelando em detalhes
Uma quadrilha em ação
O relato jornalístico
Destrói logo a ficção
De que político tucano
É homem de correção
Mostrando que entre eles
O que não falta é ladrão.

Doleiros e arapongas
Telefone grampeado
Maracutaias financeiras
Lavagem por todo lado
Dinheiro que entra e sai
Além de sigilo quebrado
Obra de gente tucana
Na privatização do Estado.

Parece mas não é
Ficção esse relato
Envolvendo tanta gente
E homens de fino trato
Que pra roubar precisaram
Montar um belo aparato
Tomando pra si o Estado
Mas hoje negam o fato.

Tudo isso e muito mais
Coisas de uma gente fina
Traficantes de influência
E senhores da propina
Mostrando como se rouba
Ao pivete da esquina
E a cada negócio escuso
Ganhando de novo na quina.

Se tudo isso não der
Pra tanta gente cadeia
Começando por Zé Serra
Cuja conta anda cheia
O Brasil fica inviável
A coisa fica mais feia
Pois não havendo justiça
O povo se desnorteia

Com CPI já pensada
Na câmara dos deputados
Não se fala outra coisa
No imponente senado
Onde senhores astutos
E tão bem engravatados
Sabem que o bicho pega
Se tudo for investigado.

Por isso, temos tucanos
Numa total caganeira
No vaso se contorcendo
Às vezes a tarde inteira
Mesmo com a velha mídia
Sua indiscreta parceira
Pelo silêncio encobrindo
Outra grande roubalheira.

São eles amigos da Veja
Da Folha e do Estadão,
Da Globo e da imprensa
Que distorce a informação
Blindando tantas figuras
Que tem perfil de ladrão
Mostrando-os respeitáveis
Como gente e cidadão.

Pois essa mídia vendida
Deles eterna parceira
E que se diz democrática
Mas adora bandalheira
Ainda não achou palavras
E silenciosa anda inteira
Como se fosse possível
Ignorar tanta sujeira.

Ela que tanto defende
A liberdade de imprensa
Mas somente liberdade
Pra dizer o que compensa
Não ferindo interesses
Tendo como recompensa
Um poder exacerbado
Que faz toda a diferença.

Mas neste livro a figura
Praticamente central
Sujeito rei das mutretas
Um defensor da moral
É o impoluto Zé Serra
Personagem que afinal
Agora aparece despido
Completamente venal.

É o próprio aparece
Sem retoque nem pintura
Tramando nos bastidores
Roubando na cara dura.
É o Zé Serra que a mídia
Esconde e bota censura
Para que o povo não veja
A sua trágica feiúra.

E ele sabe e faz tudo
No reino da malandragem
Organiza vazamentos
Monta esquema de lavagem
Ensina a filha e o cunhado
As artes da trambicagem
E como bandido completo
Tenta preservar a imagem.

Mas agora finalmente
Com a casa já no chão
E exposta em detalhes
Tão imensa podridão
Que nosso país invadiu
Com a privatização
Espera-se que Zé Serra
Vá direto pra prisão.

E pra não ficar sozinho
Que ele vá acompanhado
Do Fernando ex-presidente
Mais o genro dedicado
Marido da filha Mônica
E outro homem devotado
Ricardo Sergio Oliveira
E também o Preciado.

Completando o esquema
Deixando lotada a prisão
Ainda cabe o Aécio
Jereissati e algum irmão
Nunca esquecendo o Dantas
Que só rouba de bilhão
E traz guardado no bolso
O tal Gilmar canastrão.

Como estamos em época
De Comissão da Verdade
Que se investigue a fundo
E não se tenha piedade
Dos que usaram o Estado
Visando a finalidade
De praticar tanto crime
E ficar na impunidade.

Tanto roubo descarado
Provado em documento
Não pode ser esquecido
E ficar sem julgamento
Pois lesou essa nação
Provocando sofrimento
A quem sofre e trabalha
Por tão pouco vencimento.

Que o livro do Amauri
Maior presente do ano
Seja lido e comentado
Sem reservas nem engano
Arrebentando o esquema
Desse grupo tão insano
Abrindo cela e cadeia.
Pra todo bandido tucano.


(de silvio prado / fortaleza.ceará)

domingo, 23 de setembro de 2012

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Bob Fernandes: Manchetes para Valério, Silêncio para Dirceu

Muito Equilibrado... Novamente!

Meu Nome Também é Lula!


Estando em pleno gozo de todos os direitos políticos e de todas as demais garantias individuais concernentes à cidadania brasileira, diante da campanha hedionda de difamação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ora promovida por seus adversários políticos (declarados e enrustidos), venho fazer uma declaração.

Acompanho a trajetória de vida do ex-presidente desde a campanha eleitoral de 1989. Dá quase um quarto de século. A cada dia desses 23 anos, com intervalo de nem uma centenas de dias, se tanto, vi e ouvi todo tipo de acusação contra ele. Todo tipo que se possa imaginar.

Naquele 1989, os mesmos grandes meios de comunicação que hoje, após tanto tempo, continuam lançando acusações análogas às de outrora contra o ex-operário, chegaram a convencer o Brasil de que ele era mais rico do que o adversário Fernando Collor por morar em uma casa emprestada por um empresário.

Acompanhei a vida de Lula, desde então. Como tantos sabem, sobretudo seus inimigos, ele não enriqueceu com a política. Muito pelo contrário, seu patrimônio – sobre o qual seus adversários construíram tantas farsas – não é tão maior do que era quando disputou a primeira eleição presidencial, há 23 anos.

Lula poderia ter tirado quanto quisesse da política, se quisesse…

Ele nunca se desviou do caminho que aquele que acompanhou a sua vida sabe que era o que verdadeiramente perseguia, o de dar ao filho do “peão” oportunidades menos inferiores às dos filhos dos janotas empertigados que se julgam melhores do que o resto por terem um sobrenome de origem européia e um canudo de papel outorgado por uma universidade.

Esse homem, com sua instrução rudimentar, ainda na minha juventude fez com que eu, que estudei nas melhores escolas de São Paulo, pudesse entender que um país injusto como o Brasil não é bom para ninguém, e que só com a igualdade de oportunidades é que poderia fazer jus ao conceito fundamental de nação.

É inevitável fazer a analogia entre a luta de Lula contra legítimos impérios empresariais e as mais poderosas forças políticas – começando por uma ditadura – e o conto bíblico da vitória do jovem e franzino David sobre o poderoso gigante Golias. Afinal, Lula venceu um gigante monstruoso. E venceu três vezes.

Dirão que construí, para mim, uma imagem romanceada de um político como qualquer outro. Mais uma vez provo que estão errados. Tenho todas as justificativas racionais do universo para dizer que Luiz Inácio Lula da Silva jamais traiu a minha confiança. O poder não o mudou e ele cumpriu todas as promessas que me fez ao fazê-las a todos os cidadãos.

Lula fez seu povo – como ele mesmo diz, os feios, os desprezados, os pobres e desesperançados – melhorarem de vida como jamais ocorrera e alçou o Brasil a uma era de ouro. E o principal: devolveu a auto-estima aos brasileiros.

Agora, querem se vingar das derrotas acachapantes que Lula lhes impôs. Querem macular seu legado com acusações farsescas, irresponsáveis, criminosas. Querem, se possível, vê-lo encarcerado, pois foi sempre isso que fizeram com adversários políticos desde que atiraram o país em uma ditadura sangrenta.

Pois se essa afronta prosperar, dividirei, orgulhosamente, o banco dos réus com o ex-presidente. E serei acompanhado por milhões. Mas como só posso falar por mim, juro que, se Lula for a um tribunal, estarei ao seu lado. E quando lhe perguntarem o nome, levantar-me-ei e direi que o meu também é Lula.


Opinião dO Cachete:
Muito prazer! Eu me chamo Giovani de Morais Lula e Silva!

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

VEJA e a "Ofensiva Tet" da Direita Brasileira

Ataque ao campo de pouso de Tan Son Nhut - Saigon

O ultimo fim de semana foi marcado por um fenômeno sem comparação na história do jornalismo mundial. Encabeçados por uma falsa entrevista de Marcos Valério à Revista VEJA, a podre direita do Brasil resolveu deflagrar um ataque sem pé nem cabeça ao Presidente Lula. Saraivadas partiram dos mais diversos locais e não apenas dirigidos ao Presidente, mas a todos que, de alguma forma, defendem o novo "modus vivendi" brasileiro... 
Noblat, Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo, Merval Pereira e alguns outros de menor expoente para a direita resolveram em conjunto atacar o Presidente Lula. Partindo, porém, de uma premissa falsa. A célebre entrevista a Marcos Valério... Entrevista que não houve.
Como em todo ataque combinado, envia-se a artilharia e com ela a infantaria. Cães menores, lacaios e vassalos leitores de VEJA, Folha, O Globo e assemelhados também fizeram seus ataques a Jornais e Blogs de visão alinhada à esquerda. Um dos principais ataques desta canalha foi o Portal Brasil 247 (choveu cão de caça nos comentários às reportagens). Nunca vi nada no gênero em meus 4 anos de blogagem... Incrível!
Trata-se de desespero e última tentativa de garfar as eleições de forma nada democrática. Diria, golpista!
Mas não conseguirão tal empreitada. Estamos aqui!
Gostaria de parabenizar aos blogueiros e ativistas virtuais por desmascarar toda essa bandidagem, e suas mentiras, em menos de 8 horas após a famigerada "reporcagem" da VEJA.

Enquanto estivermos aqui, a verdade permanecerá imaculada!

Em Tempo: A Ofensiva Tet foi esmagada em 8 dias... A Ofensiva VEJA em 1 dia... Incompetentes!

(*) Ofensiva Tet - Clique Aqui para saber mais!

domingo, 16 de setembro de 2012

VEJA Bate e o Governo..... Nada!

Mais uma mentira!

Desde ontem não se fala em outra coisa nas redes sociais. A reportagem da VEJA sobre uma suposta (adoro esta palavra que escamoteia a responsabilidade da citação) entrevista de Marcos Valério, onde este apontaria Lula como chefe do suposto (olha ela aqui de novo!) Mensalão e o desmentido através do advogado do Valério.
Grande alarde e corre-corre... E a reação do Governo foi imediata! Dilma cancelou um almoço com Civita (Cara de pau, esse carcamano!) e o Mantega se retirou de um evento da Revista Exame... (Ironia MODE ON) Medidas drásticas e eficazes contra as ações da Abril contra Lula e o Governo Federal (Ironia MODE OFF).
Por que não cortar a verba de marketing e divulgação das estatais nestas revistas??? O órgão mais sensível do corpo humano é o bolso. Sufoquem estes escrotos... Apertem seus sacos!
Já ouviram falar em processo??? Se bem que o STF.... Vocês já sabem o que o STF faria...
ACORDA PT!!!!!!

Só falta agora a Dilma ou o Lula "xingarem muito no tweeter...".
"Puta falta de sacanagem!".

terça-feira, 11 de setembro de 2012

11 de Setembro: Allende Vive!!!

Bombardeio do Palácio La Moneda

Em 11 de setembro de 1973, morria o grande Salvador Allende, médico e político marxista chileno. Fundador do Partido Socialista, foi presidente do Chile de 1970 a 1973, quando foi deposto por um golpe de estado liderado por seu chefe das Forças Armadas, Augusto Pinochet.

A sua política, a chamada "via chilena para o socialismo", pretendia, segundo ele, uma transição pacífica, com respeito às norm
as constitucionais chilenas e sem o emprego de força, para uma sociedade de paradigma socializante. Nacionaliza os bancos, minas de cobre e várias grandes empresas - o Estado chileno chega a controlar 60% da economia - e passa a sofrer pesadas pressões políticas norte-americanas e de grupos de pressão criados no Chile pela CIA, como a organização terrorista Patria y Libertad, de orientação nacionalista-neofascista.

Rapidamente o governo norte-americano submeteu o Chile a um bloqueio econômico informal, que impedia o Chile de obter empréstimos internacionais ou bons preços para o cobre, o seu principal produto de exportação. Isso foi denunciado por Allende num dramático discurso na ONU. Os Estados Unidos adotaram a estratégia de sufocar gradualmente a economia chilena até que um levante das Forças Armadas pusesse fim a "via chilena para ao socialismo". 

Em 11 de setembro de 1973, aviões americanos bombardearam o Palácio La Moneda. Até hoje existem dúvidas sobre como se deu a morte de Allende. O mais provável é que ele tenha se suicidado para não ser pego vivo, mas há a hipótese de assassinato. De uma forma ou de outra, foi o golpe que o levou à morte. Foi o princípio da ditadura de Pinochet.

Paulo Rubem Santiago: Conversa Rimada

Paulo Rubem Santiago
Via Facebook
A cidade do Recife, em 2000 se levantou, naquele segundo turno todo mundo se empolgou, eu digo pois tava ali, trabalhei muito e sorri, quando a vitória chegou. Na reta final do pleito, o cenário era cinzento, pois Magalhães já cantava , com a vitória num momento, a certeza foi demais, então andaram pra trás, veio o desapontamento. Então a nação petista foi toda pro Marco Zero, aquela massa empolgada, JP disse eu quero, o Recife avermelhou, o PFL dançou, findou-se seu lero lero. 
Daí pra frente sabemos, da orquestra em movimento, veio o segundo mandato e com ele um estreitamento, pouca gente decidindo, aquele sonho sumindo, anunciando um lamento. Por causa da vaidade, da briga pelo poder, o que era patrimônio, passou a ser desprazer, pois a briga foi gigante, foi-se a unidade num instante, não dá mais pra esquecer. 
Chegando em 2012, parecia um vendaval, João da Costa isolado, enfrentava um time mal, quem lhe escolheu lá atrás, deu um pinote e zás tráz, tirou-lhe o fundamental. A unidade do partido, foi-se embora num segundo, gente animada com prévia, falando pra meio mundo, o PSB lá calado, assuntado esse babado, olhou a brecha e foi fundo. Até hoje ninguém sabe, a causa da traição, que JP tanto disse, pra pernambuco e a nação.Que traição seria essa, que ninguém sabe o miolo, se era coisa de fato, ou fachada de tijolo, eu sei que nessa arenga, o PT com uma estrovenga, torou tudo sem consolo. Jogaram tudo no lixo, uma obra coletiva, campanhas feitas na base, com a militância bem viva.Teve gente que surtou, com o tamanho da engrenagem, com o peso dessa máquina, se viu logo a vantagem, agora a coisa tá feia, com tamanha divisão, o PSB tá nadando, e não tem fundura não, o PT todo enrascado e olhe só seu papel, se brincar perde o segundo, e cede pro Daniel, com um discurso arrumado, tá todo bem empolgado, não sente gosto de fel. 
O Recife apesar disso, reclama , fala e quer mais, quer direito cidadão, coisa que ficou pra trás, não é nenhum paraíso, dá pra notar, eu aviso, desigualdade é demais. São cem mil analfabetos, saneamento precário, aqui a reforma urbana, nem com estelionatário, mobilidade nem falo, a cidade não anda mais, é um coração enfartado, com o sangue cheio de sais, por isso vamos em frente, debater nossa cidade, se eu estivesse na lida, não fugia da verdade, pela esquerda ia seguir, no meio do campo partir, pra conquistar lealdade. Se a cidade tem um dono, o dono dela é sua gente, que trabalha, pena e sofre, sem modelo inteligente, quem tem muito paga e vive, não quer nada diferente.
Por isso aqui eu encerro, essa conversa rimada, pudera eu debater, com essa gente falada, o futuro da cidade e essa maldade instalada, tem muita gente dizendo que vai fazer coisa e tal, por que não fez lá atrás, à frente da capital ? Pense direito eleitor, seu imposto pago é caro, se você anda de fusca, mereceria um Camaro, Recife pra ser de todos, com todos deve contar, promessas mirabolantes, cuidado podem enganar, reivindique com seu voto , e depois da eleição, a cidade que tu queres, leve na palma da mão, e lute nos quatro anos, pra não ter decepção. Boa noite.

domingo, 9 de setembro de 2012

Venezuela Detecta Presença de Submarino Nuclear em Suas Águas...

E se fosse nos Estados Unidos???

Ando Meio Sem Assunto...

Já faz tempo que eu postei alguma coisa por aqui. Ando meio sem assunto. Mas como ficar sem assunto em plena campanha eleitoral sendo O Cachete um Blog de Política? É uma boa pergunta! A política está chata. Campanhas com os mesmos argumentos de sempre, as mesmas promessas e acusações de sempre. Independente de partido ou aliança. Fulano é a favor do aborto, fulano é contra o aborto. Sicrano não aplicou o que deveria aplicar em transportes, educação e saúde... Deixou um rombo nos cofres da prefeitura.... Um verdadeiro saco... Os mesmos, acusando ou sendo acusados pelos mesmos! 

Não! Para dizer a verdade houve uma mudança. Jarbas Vasconcelos apoiando o candidato de Eduardo Campos em uma grande demonstração que a política pode mudar as pessoas... Acaba com brigas ancestrais. E isso tudo por um bem maior! O povo....

Desculpem se exagerei na ironia no último parágrafo, mas hoje eu acordei com a veia cômica dilatada!!! 

Bom dia, boa tarde, boa noite!

domingo, 2 de setembro de 2012

Joaquim Barbosa: O Herói que Nem Sempre Foi...

POR CLÓVIS GRUNER

Joaquim Barbosa, do STF, virou o novo herói nacional. Ainda esta semana, no Facebook, me deparei com dois 'posts' a tecer elogios ao ministro - em um deles, ele é comparado ao Batman e, claro, ganha de lavada. Em outro, elogia-se sua biografia, de rapaz humilde a jurista reconhecido e fluente em três ou quatro idiomas.
Mas nem sempre foi assim. Quando indicado em 2003, pelo então presidente Lula, os mesmos veículos que hoje colaboram para construir e solidificar sua imagem heroica não cessaram de martelar as muitas razões de sua indicação e, segundo as versões apregoadas à época, elas nada tinham a ver com sua hoje propalada competência jurídica.
Além da acusação velada de que Barbosa apenas preenchia a "cota racial" do judiciário, havia outras, para todos os gostos: Joaquim Barbosa foi acusado de ser petista; de ter sido escolhido pela cor da pele e não pelo mérito; de faltar ao trabalho repetidamente; de deixar os processos amontoarem, inviabilizando a rotina do STF, etc.

Mas, ao que parece, ter sido "duro" com os mensaleiros fez com que este "passado comprometedor" fosse rapidamente apagado e esquecido. E a mesma imprensa e os mesmos jornalistas que o tomaram por Darth Vader, são hoje os responsáveis por sua repentina heroicização. Não sei vocês, mas não me surpreende. 

A matéria do link abaixo, publicada pelo Estadão em 2010, é só uma pequena mostra da agressividade da imprensa brasileira contra Barbosa em tempos outros. Mas, e falo como historiador e ex-jornalista, é também um belíssimo exemplo de como o discurso jornalístico é político e politizado; e de que nossas escolhas e percepções não são neutras, mas orientadas também por estes mesmos discursos. 

Ah! E eu ainda prefiro o Batman: afinal, a jornada do homem morcego foi mais árdua que duas ou três capas dos jornalões e alguns elogios em blogs de direita. E espetáculo por espetáculo, prefiro a DC aos jornalões tupiniquins. Os primeiros são muito mais competentes.

Vejam a matéria do Estadão.



Opinião dO Cachete:
Imprensa comprada e tendenciosa... Povinho esquecido e idiotizado pela imprensa... Estou torcendo pelo início das vendas de passagens para Marte!!!

Política de Controle das Massas

Lamentável!

A Política e a Traição de Cada Dia

O Ciclo das Traições

Lula traiu João da Costa (que traiu João Paulo), rifando sua natural candidatura à reeleição, para ganhar o apoio de Eduardo Campos (PSB) em São Paulo.
Eduardo Campos traiu Lula lançando a candidatura Geraldo Júlio à Prefeitura do Recife.
Eduardo Campos traiu a memória de Miguel Arraes (seu avô) ao se aliar a Jarbas Vasconcelos (inimigo pessoal do velho Arraes) pelo apoio a Geraldo Júlio.
Jarbas Vasconcelos (inimigo pessoal de Lula) traiu Miguel Arraes ao se lançar ao Governo do Estado de Pernambuco tendo como argumento do seu discurso os famosos precatórios. Ah, Eduardo Campos era o secretário de Arraes!
Até parece que as palavras 'Política' e 'Traição' foram criadas ao mesmo tempo e são aliadas inseparáveis.

Com exceção de Arraes (Claro!), alguém duvida que estes senhores poderão estar no mesmo palanque nas próximas eleições (2014) como se nada tivesse ocorrido??? Trocarão abraços e tapinhas nas costas... E o povo aplaudindo! Viva a falta de memória nacional!!!!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma."
(Joseph Pulitzer)