Cachete - S. M. Antigamente, no Nordeste do Brasil, era assim que se chamava qualquer comprimido para dor.

sábado, 13 de novembro de 2010

Augusto Nunes e o Jornalismo Partidário

Um canalha de terno
Um assassino de reputações

Acredito que a primeira condição para se fazer bom jornalismo é a isenção. Não digo que o jornalista deva ser um ser apolítico, apático e monocórdico. Não! Apenas ser equilibrado em sua perguntas, palavras e análises. Que não leve sua bandeira de esquerda ou direita para dentro da redação.
Baseado nesta condição, pergunto:
O que é que o Augusto Nunes está fazendo no elenco permanente do Roda Viva?
Quem conhece o Blog de ultradireita do peguete do Jornalista Celso Arnaldo (Dá a maior bandeira!) sabe o que eu estou falando. A Marília Gabriela pelo menos sabe esconder suas tendências políticas e tenta, de alguma forma, demonstrar uma centralidade em seus questionamentos. Ja o Blogueiro Augusto Nunes nem disfarça! Na entrevista com José Dirceu, faltou pouco para ele saltar por cima da bancada e enfiar a porrada no Zé. Outro Zé, em que ele está abrindo fogo de barragem, é o Zé de Abreu. Os ataques são nojentos, mas inventivos. Recentemente ele publicou em seu Blog que o nosso @ZéBigorna estava pleiteando um cargo de Ministro da Cultura no Governo Dilma. O Zé de Abreu nega a vontade e rejeita até o convite! Mas o Gugu - não o do Pintinho Amarelinho - simplesmente ignora esta posição. E ataca! Eu e o Zé de Abreu concordamos que ele é um bosta. O Zé de Abreu disse, inclusive, que estava tomando Manitol para se livrar do Augusto Nunes... Não esqueça de dar descarga depois, Zé!

O ataques também se viram contra o Franklin Martins. E por que? Franklin atingiu o lugar sonhado por ele, quando era militante de esquerda. Sim. O Augusto Nunes foi militante de esquerda. Prefaciou, inclusive, o livro "Cuba, Hoje" de Jorge Escosteguy (ex-mediador do Roda Viva - morto em 1996). E como todo ex-fumante, ex-alcoólatra, ex-drogado, é um saco(!) e ferrenho ativista contra seu antigo vício. A velha prostituta se passando por moça casta e imaculada.
O Franklin Martins representa o sonho dele. E, como todo invejoso, tenta destruir o objeto invejado! O Franklin deveria se proteger com reza forte! Já dizia o Bussunda (na época que Casseta & Planeta prestava... período pré Marcelo Madureira): " A inveja é uma merda!". E como o Augusto Nunes é um bosta invejoso, a frase se aplica muito bem, aqui!

Augusto Nunes é uma das grandes vergonhas para quem faz jornalismo sério e equilibrado neste País - mas não é único! Mas a vida segue e os grandes homens - como Lula, Zé de Abreu e Franklin Martins - e mulheres - como Dilma Roussef - serão eternizados em nossa história. Augusto Nunes será um dia apenas uma velha página da Revista VEJA, amassada e atirada ao lixo do esquecimento... Que se junte ao resto do monturo em um grande lixão a céu aberto.. com outros urubus ao seu redor... catando carniça!

OBS.: Acabo de receber uma ligação da Editora Abril me oferecendo a Revista Veja com 50% de desconto. A segunda ligação esta semana! Acho que a Abril está em prefalência... Tomara! Bye, Bye, Augusto Nunes!

4 comentários:

Gerardo Juin S.A. disse...

Concordo em quase tudo, exceto que esse pulha nao pularia em cima do Ze Dirceu, por 2 motivos: 1º. Ele e um covarde e nao teria coragem de fazer algo assim, ja que alguns covardes se escondem atras das palavras para transformar sua frouxidao em suposta civilidade. 2º: Convenhamos, o Ze teve treinamento militar em Cuba, moer o Gugu Nunes de porrada nao seria nada tao dificil assim, prazeiroso seria, mas seria muito facil

Giovani de Morais e Silva disse...

Boa, Gerardo! O Gugu é um covardão, mesmo! Obrigado pelo comentário!

edior disse...

Esse Augusto Nunes é uma excrescência. O tolosco mais fedorento da imprensa brasileira !

Giovani de Morais e Silva disse...

Edio, o Gugu é um grande Mané! Obrigado pelo comentário e continue acompanhando O Cachete. Valeu!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma."
(Joseph Pulitzer)