Cachete - S. M. Antigamente, no Nordeste do Brasil, era assim que se chamava qualquer comprimido para dor.

domingo, 4 de julho de 2010

Uma Explicação aos Colegas Blogueiros

Na porrada essa Coluna de ajeita!!!!

Muitas vezes, em minhas matérias e posts sobre o PIG e seu componentes, colaboradores, asseclas ou corja, como queiram, alguns colegas comentam que eu estou destacando e dando relevo ao trabalho sujo desses canalhas de plantão. Gente, o Blog O Cachete - O Remédio para a Crise de Coluna é isso! Um remédio contra colunas, colunistas e blogueiros doentes. Se não sou a cura, funciono como um Quiroprático! Dou porrada, amassão e cutucão para ver se a coluna volta para o lugar. Enquanto ele não volta, a porrada come solta! Me comporto como o monge da fábula do escorpião. A saber!

O Monge e o Escorpião

Monge e discípulos iam por uma estrada e, quando passavam por uma ponte, viram um escorpião sendo arrastado pelas águas. O monge correu pela margem do rio, meteu-se na água e tomou o bichinho na mão. Quando o trazia para fora, o bichinho o picou e, devido à dor, o homem deixou-o cair novamente no rio.

Foi então a margem tomou um ramo de árvore, adiantou-se outra vez a correr pela margem, entrou no rio, colheu o escorpião e o salvou. Voltou o monge e juntou-se aos discípulos na estrada. Eles haviam assistido à cena e o receberam perplexos e penalizados.

- Mestre, deve estar doendo muito! Porque foi salvar esse bicho ruim e venenoso? Que se afogasse! Seria um a menos! Veja como ele respondeu à sua ajuda! Picou a mão que o salvara! Não merecia sua compaixão!

O monge ouviu tranqüilamente os comentários e respondeu:

- Ele agiu conforme sua natureza, e eu de acordo com a minha. E se ele não muda a natureza dele, eu também não vou mudar a minha!

Um bom domingo para todos!

Um comentário:

DiAfonso disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk Cachete neles! kkkkkkkkkkk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma."
(Joseph Pulitzer)