Cachete - S. M. Antigamente, no Nordeste do Brasil, era assim que se chamava qualquer comprimido para dor.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Cuba: Por Michael Moore

Este post foi replicado do excelente Blog Bodega Cultural



Cuba: Por Michael Moore

Confesso que chorei. E cheguei a conclusão que preferiria mil vezes viver sem a liberdade que o regime castrista impõe aos cubanos - segundo o que a mídia conservadora e os reacionários de direita entendem por "liberdade" -, a ter que viver numa sociedade hipócrita, gozando de uma pretensa liberdade democrática que aprisiona, sequestra e mata.

No mínimo os macarthistas de plantão irão dizer que isto não passa de propaganda comunista, mas os americanos doentes receberam o tratamento que não tiveram em seu país, o mesmo tratamento dispensados aos cubanos, de graça, humano. Assistam ao vídeo:


Moore viajou a Cuba com três voluntários que haviam trabalhado nas ruínas do World Trade Center, em New York, depois dos ataques de 11 de setembro de 2001. Segundo ele, os voluntários sofrem de problemas de saúde desde que atuaram naquele local e têm dificuldade de acesso aos tratamentos públicos.

Moore diz tê-los levado de barco até a base naval estadunidense de Guantánamo - que fica encravada no leste de Cuba e onde Washington mantém suspeitos estrangeiros de terrorismo - para ver se eles receberiam o mesmo atendimento médico gratuito dos detentos. Após serem barrados, eles decidiram ver que tipo de atendimento médico encontrariam em Cuba, cujo governo comunista se orgulha da qualidade de seus hospitais. Excerto do documentário "Sicko" (S.O.S. Saúde), de Michael Moore.

2 comentários:

AF STURT disse...

Confeso que chorei...
Sem palavras...
ABS>>>

Itárcio disse...

Muito emocionante cara, também chorei. Um grande abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

"Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil quanto ela mesma."
(Joseph Pulitzer)